O dia que a Seleção Argentina vestiu verde

Na semana passada você viu aqui no Pelas Barbas do Profeta como a paixão de torcedores de Boca Juniors e de River Plate que vivem em uma pequena cidade na Província de Córdoba fizeram com que o River Plate de Bell Ville jogasse de azul e amarelo.

Essa semana te contarei outra curiosidade sobre os dois gigantes argentinos.

Você sabia que Boca e River já jogaram de verde?

E isso aconteceu aqui no Brasil.

Em 1948 o River Plate veio para o Brasil, tornando-se o primeiro clube argentino a excursionar pelo país. O Boca Juniors chegou dias depois e ambos enfrentaram os mesmos adversários: os três grandes da cidade de São Paulo.

O sucesso das partidas foi tão grande que a Federação Paulista teve a idéia de realizar mais uma partida, sendo que desta vez argentinos enfrentariam a Seleção Paulista, formada pelo Trio de Ferro.

Os argentinos abraçaram a idéia e montaram a sua seleção, que pela primeira vez na história combinaria jogadores de River e Boca. Os arqui rivais juntos representando a Argentina.

Tudo pronto e organizado até que surge um impasse. Argentinos vão jogar com qual uniforme? Eis que nenhum jogador queria usar o uniforme do rival, os únicos disponíveis para a partida.

Eis que Bovio, que jogava no Palmeiras, trouxe a solução: jogarem com a camisa verde da equipe de Parque Antárctica.

Boca e River de verde, representando a Argentina

Combinado Boca Juniors e River Plate que jogou no Estádio do Pacaembú em 1948. Moreno, agachado de bigode e Di Stefano a sua direita eram as estrelas de LaMaquina.

E assim foi, em 21 de janeiro de 1948, no Estádio do Pacaembu.

Amadeo Carrizo, idolo do Millionarios lembrou:

“Eu recém começava no futebol e fomos a excursão que depois também foi Boca. Me lembro que colocamos a defesa de Boca e quase todo ataque do River. Eles sempre tiveram ótimos defensores e nós tinhamos os integrantes de La Maquina. Fomamos um equipaço, uma seleção.”

La Maquina foi o timaço do River que conquistou os argentinos de 1941/42/43/45 e contava com José Manuel Moreno e Alfredo Di Stefano. É considerado até hoje como o melhor time da história do futebol argentino.

A partida terminou 1 a 1 com os argentinos abrindo o placar com Pin, aos 42 minutos do primeiro tempo. Os paulistas empataram 2 minutos depois com Servílio.

A Seleção Paulista jogou com: Oberdan; Caieira (Renganeschi), Noronha (Turcão), Rui, Zezé Procópio, Waldemar Fiúme, Cláudio, Pinho, Yeso, Servílio (Canhotinho) e Teixeirinha (Remo).

O combinado Boca-River jogou assim: Diano (Carizzo); Maranti, Dezorzi, Yacono, Nestor Rossi (Castelar), Ramos, Boye, Moreno (Corquera), Di Stéfano (Sarlanga), Labruna (Lostau) e Pin.

Carrizo, entrou aos 10 minutos de jogo graças a contusão de Diano, e quis o destino que se tornaria o maior goleiro da história do River Plate. Ele acredita que o gesto das duas equipes foi um exemplo para todos e que isto deveria chegar as novas gerações.

“Não é inimigo aquele que sente amor por outras cores.”

Conta a história, que argentinos jogaram somente a primeira etapa de verde. Voltaram a campo com o uniforme do Boca Juniors para mostrar aos brasileiros que eles também eram unidos assim como o selecionado paulista.

Fábio Vilela

Fábio Vilela cozinha, desenha, fotografa, coleciona camisas e gosta de falar de futebol. Adora lembrar dos craques dos anos 90 e da época de ouro do Calcio. Relembra com nostalgia dos seus esquadrões de futebol de botão, que ele mesmo fazia. Fã de polêmicas e de Cantona, Sérgio Ramos, Luis Suarez, Batistuta e acha La Bombonera o estádio mais legal do mundo.

Talvez você também se interesse por...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *