AS 7 MELHORES EQUIPES DA TEMPORADA EUROPEIA

Texto originalmente publicado pelo Blog do Jorginho em 29/05/2019. Quer ler mais do blog? Clique no link.

Ao fim de mais uma temporada na Europa, o blog resolveu listar as 7 melhores equipes de 2018/2019. Tentando equacionar qualidade técnica, futebol apresentado e resultados finais, chegamos no seguinte inventário:

1 – Manchester City

A melhor equipe da Europa na temporada que se encerra. O “treble” inédito da história do futebol inglês, somado à competitividade mostrada também na Liga dos Campeões, escancara a força de um time que fez o que fez praticamente sem o seu mais talentoso jogador. A ausência do camisa 17, juntamente com outros desfalques importantes em momentos pontuais, exibiram as facetas de um time com capacidade coletiva ímpar. Sem abrir mão de nenhuma competição, ou seja, disposição e força no volume máximo para arrebatar todas as taças possíveis. Desde o início da temporada, foram 4 conquistadas de 5 disputadas. Os comandados de Guardiola foram os “pais” indiscutíveis do poderoso e “europamente” dominante futebol inglês. 

E antes que se discuta a desclassificação nas quartas de final da Liga dos Campeões, encerramos com a palavra de Maurício Pocchentino, vice campeão e algoz dos citizens: “O melhor time inglês é o City, porque em dez meses nenhum outro fez mais pontos que eles. Em competições de mata-mata, há muitos fatores como sorteio e circunstâncias de jogo, por isso nem sempre o melhor vence. Mesmo que eu vença a Liga dos Campeões, o Manchester City é o melhor time”.


2 – Liverpool

Segundo melhor time da Inglaterra e da Europa na temporada. Vencedor da Liga dos Campeões e vice na Premier League. Abriu mão das copas locais para focar nos títulos mais gordos e o resultado veio através da orelhuda. Dono de um futebol muito agressivo e de velocidade desde a temporada passada, ganhou com contratações pontuais o equilíbrio que precisava para deslanchar como uma potência do continente. E ainda que com o principal título em jogo na Europa em mãos, a segunda colocação parece ficar de bom tamanho. Se o título não viesse na final não haveria argumentos para o Liverpool ficar em primeiro no ranking. Não seria justo ignorar todos os títulos e feitos do City para condicionar o topo aos Reds em detrimento de 90 minutos. Ou seja, Klopp e seus comandados se estabeleceram na segunda colocação para o blog, independentemente da consagração europeia.

https://www.instagram.com/championsshirts.cs/

3 – Ajax 

Campeão da liga e copa domésticas, e dono de um futebol dominante, ofensivo e extremamente estético. Os discípulos de Cruyff envergaram varal também na maior competição de clubes do velho continente. A máquina holandesa de moer favoritos só foi eliminada nas semifinais. Isso depois de despachar o então tricampeão europeu Real Madrid, e a Juventus de Cristiano Ronaldo (maior jogador da história do torneio), em ambos os confrontos amassando o adversário nas duas partidas. E mesmo na eliminação, pagou por 30 minutos ruins na soma dos dois jogos e deu adeus à competição apenas no apagar das luzes. Muito brilho coletivo e individual, fazendo florescer diversos talentos para o futebol. A força de equipe e a qualidade técnica do jovem time, o credenciam a figurar o top 3 da Europa na temporada. 

4 – Juventus

A velha senhora, embora oscilante e pouco empolgante, mostrou a competitividade habitual. Mandou no campeonato italiano sem muito trabalho e mesmo com o hiato da Copa da Itália, faturou a Supercopa Itália para somar com o troféu da “Serie A” nessa temporada. No torneio europeu, passou em primeiro em um grupo com United e Valência. Despachou a poderosa defesa de Simeone e seu Atlético de Madrid numa virada fulminante com direito a show de Cristiano Ronaldo, numa atuação coletiva espetacular e força mental de elite do planeta bola. Sucumbiu merecidamente à sensação holandesa de De Jong, De Ligt, Tadic e companhia. Mas nada que faça subestimar a força do gigante italiano da década. 

5 – Barcelona

Campeão espanhol, da Supercopa da Espanha, semifinalista europeu e vice campeão da Copa do Rei. Esses foram os resultados do Barcelona na temporada. A quinta colocação se deve a falta de qualidade coletiva, física, e involução ao jogo pregado pelo clube nos últimos anos. A dependência excessiva de Messi nos faz questionar a real força dessa equipe, que tem estatisticamente, no camisa dez, praticamente seu setor ofensivo inteiro.

Foram inúmeras as vezes em que a péssima atuação do exército de Valverde foi encoberta pela exibição do gênio argentino. Para além dele outros jogadores também brilharam na temporada, mas dá para contar nos dedos quem de fato fez um bom 2018/2019. Os questionamentos em cima da comissão técnica escancaram a não unanimidade que os resultados poderiam produzir. O quinto lugar em nosso ranking, se deve principalmente ao adendo da qualidade e poder de decisão de Lionel, que foi sensacional/fundamental do início ao fim. 

6 – PSG 

O título da Supercopa da França e da Ligue One, podem parecer pouco se tratando de PSG. Mas a verdade é que o principal time francês da atualidade era mais competitivo do que os resultados aparentam. O acidente de percurso nas copas locais desfocam o quanto os parisienses eram de fato fortes. Com a redundância em citar o domínio doméstico, tanto técnico e individual, quanto coletivo. Na Liga dos Campeões o milionário francês foi o primeiro colocado de um grupo com Napoli e Liverpool.

A desclassificação nas oitavas, foi mero acidente psicológico com suaves pitadas de azar. Dominou o United com absoluta autoridade em Manchester e em Paris, e foi amaldiçoado com falhas pessoais ofensivas e defensivas. Em um confronto em que era visivelmente superior ao adversário. O detalhe é que tudo sem o seu melhor jogador em praticamente metade da temporada. O que nos faz concluir que, completo, o desempenho europeu certamente seria mais condizente com a qualidade do time de Tuchel. 


7 – Tottenham 

O competitivo grupo de Maurício Pocchentino foi uma das grandes sensações da temporada. Finalista na Liga dos Campeões (eliminando City e Ajax). Quarto colocado na poderosa liga inglesa e semifinalista da Carabao Cup, o Tottenham poderia ter beliscado uma posição melhor se a atuação na final europeia fosse mais consistente.

A falta de competição contra a bem postada marcação do Liverpool, deixa a entender que a classificação tanto nas quartas, quanto nas semis, contaram com uma interferência grande de momentos específicos. Seja psicológicos ou acidentais, tirando um pouco o mérito de força da equipe. Somando isso ao fato da quase eliminação nos grupos e irregularidades em termos de desempenho na fase. O Tottenham quase foi eliminado por cinco vezes do torneio continental precisando contar com reviravoltas e superações, que, tem seu peso, mas esse sendo menor do que regularidade. Portanto, a sétima e merecida colocação aos Spurs, fechando o ranking do blog. Concorda?

Emerson Morelli

Fanático por futebol desde garoto, o colecionismo se tornou uma extensão disso.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *