Colecionador Álvaro Augusto

Hoje o NaGaveta continua sua série de entrevistas com os colecionadores espalhados pelo Brasil e pelo Mundo. O Blog sai de Umuarama e vai até a cidade de Campinas no interior de São Paulo. Vamos entrevistar o colecionador Álvaro Augusto. Essa é uma coleção bem peculiar que une suas duas paixões, camisas de goleiro e o Guarani. Confira.

Na Gaveta: Como começou a colecionar? Alguém em especial te incentivou?

Álvaro: Eu já tinha várias camisas antes de começar a colecionar. Uma vez postei fotos das camisas que tinha sem nenhum compromisso e um colecionador na época quis muito uma camisa de goleiro que eu tinha. No fim não vendi pra ele. Além disso acabei comprando várias de goleiro de sua coleção. Gente finíssima, me ajudou demais e  foi conversando com ele que me falou dos grupos de colecionadores. Me disse os nomes dos colecionadores, e a partir dali comecei a levar mais a sério, isso no fim de 2014.

Na Gaveta: Sua coleção tem algum foco específico?

Álvaro: Sim, camisas de goleiro do Guarani. Sempre fui goleiro nos campeonatos da escola, nas peladas e nos jogos de várzea, as camisas de goleiro sempre me fascinaram. Eu sempre comprei camisas nas lojas muito antes colecionar. Adorava ir nos jogos do Bugre quando era criança só pra ver as camisas dos goleiros.

Coleção de Camisas de Goleiro Frente e Verso

 

A Camisa do Ídolo Neneca usada na Libertadores

Na Gaveta: Qual camisa você destaca na sua coleção?

Álvaro: Sem sombra de dúvidas uma camisa de 79 usada na Libertadores deste mesmo ano pelo goleiro campeão Brasileiro de 78 Neneca. Aliás gostaria de aproveitar o espaço para agradecer meu amigo e grande colecionador de camisas do Guarani Guilherme por ter me passado esta relíquia abrindo  mão dela em sua coleção. O colecionismo tem pessoas sensacionais e o Guilherme é uma delas. Destaco também as camisas do início dos anos 90, pra mim as mais bonitas, fabricadas pela saudosa Dellerba.

Camisa usada por Neneca na Libertadores de 79

Álvaro Augusto no gol do Brinco de Ouro

NaGaveta: Ficamos sabendo que você teve a oportunidade de jogar no Brinco de Ouro e ainda por cima no gol. Nos conte em detalhes essa experiência

Álvaro: Foi sim, foi uma experiência única, foi uma ação de alguns ex jogadores do Guarani como João Paulo e Valdeir. Contaram com apoio do Amoroso, Fumagalli, Boiadeiro, Catatau e Bozé entre outros. Alguns dos torcedores tiveram a oportunidade de jogar com todos esses craques mediante a pagamento de um valor para ajudar no projeto Bugrinho. É um projeto que trabalha com a criançada e graças a Deus tive a oportunidade de jogar. Joguei no time do Fumagalli. Ganhei de presente de Natal da minha namorada a inscrição e joguei, tomei 3 gols, 2 do Boiadeiro e 1 do Catatau, foram os gols mais felizes que tomei na minha vida. Ganhamos a camisa do jogo, foi pra coleção e é uma das mais especiais também, sem dúvidas foi um dos dias mais felizes da minha vida (rs).

Alvaro e o Time do Fumagalli no Brinco de Ouro

NaGaveta: Como é a relação do Guarani com seus Colecionadores? Existe alguma ajuda da diretoria, ou mesmo alguma união entre os Colecionadores do Bugre?

Álvaro: Existe uma união entre os colecionadores sim, graças a essa loucura de colecionar mantos do Bugre nasceram muitas amizades legais, acredito que mais da metade da minha coleção veio graças a ajuda dos amigos colecionadores Bugrinos que sempre que aparece uma de goleiro lembram de mim! Em relação ao apoio da diretoria sempre que solicitamos o espaço do memorial do Guarani para fazer encontros fomos atendidos. O espaço que fica na parte externa do estádio foi cedido para a realização dos encontros, não há muito contato direto com as diretorias, porém quando precisamos fomos atendidos prontamente.

Moto e Camisa: Uma combinação perigosa

NaGaveta: Nos conte alguma história curiosa de como conseguiu alguma de suas camisas?

Álvaro: Não me lembro de nenhuma história muito curiosa de como consegui alguma camisa, mais tenho uma história curiosa depois que consegui uma. Um amigo conseguiu uma camisa de jogo do ano passado usada na Série C pelo goleiro Leandro Santos. As camisas de goleiro do ano passado não foram vendidas em lojas. É uma camisa rara, pois só tem por aí as de jogo, pois bem, encontrei com o amigo pra pegar no centro aqui de Campinas e voltei pra casa. Estava de moto, quando cheguei não percebi que derrubei a camisa no escapamento da moto, só percebi quando senti o cheiro de queimado, abriu um rasgo enorme e tive que dar um jeito de restaurar a camisa pro acervo, pois não sei se um dia vou conseguir outra (rs). Por fim agradeço muito aos amigos do NaGaveta.com pela oportunidade de mostrar minha coleção e um pouco de minhas histórias. Acho muito legal esse espaço que vocês dão aos colecionadores. Deixo aqui minhas saudações, pois a história das camisas dos clubes muitas vezes são mantidas graças aos colecionadores!!

 

Camisa que a Moto Queimou

Como sempre, agradecer a entrevista e disponibilidade do amigo e colecionador Álvaro Augusto. Por fim sempre lembrando aqui Na Gaveta, o espaço é todo seu e o próximo pode ser você.

 

Alvaro fazendo uma defesa

 

Emerson Morelli

Fanático por futebol desde garoto, o colecionismo se tornou uma extensão disso.

Talvez você também se interesse por...

1 Response

  1. 10/06/2018

    […] eu possuía uma camisa dele de jogo da libertadores de 79, camisa que passei para o meu grande amigo Álvaro Augusto colecionador de camisas de goleiro do […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *