Colecionador Gustavo Rodrigues

Nossa entrevista com o colecionador hoje vai até a cidade de São Paulo. Vamos entrevistar o colecionador Gustavo Rodrigues que vai nos mostrar e nos falar sobre sua coleção do Alvinegro da Vila Belmiro. Além de contar como começo sua coleção Gustavo nos apresentou algumas raridades como a camisa em homenagem aos 25 anos do milésimo gol do Rei. Coisas que só uma coleção do Santos Futebol Clube pode nos apresentar.

 

NaGaveta.com: Como começou a colecionar? Alguém em especial te incentivou

Gustavo: Eu sempre fui apaixonado por camisas de futebol. Desde pequeno. Sempre que viajava com os meus pais, comprava alguma camisa do time do lugar. Talvez o meu pai tenha me incentivado bastante. Essa paixão cresceu junto comigo e em 2012 eu acho que virei um colecionador de verdade.

Gustavo com suas camisas especiais

NaGaveta.com: Sua coleção tem algum foco específico?

Gustavo: A minha coleção tem foco no meu time do coração, o Santos Futebol Clube.

As Camisas Especiais da Coleção de Gustavo Rodrigues

NaGaveta.com: Qual camisa você destaca na sua coleção?

Gustavo:  É difícil falar de alguma camisa em especial. Cada uma tem uma história, mas posso destacar 4 em meio as que eu tenho. A primeira é uma camisa da Anddma, comemorativa e em homenagem aos 25 anos do milésimo do Pelé. O Santos lançou essa camisa que tem o patrocínio da Unicór em dourado e embaixo do distintivo uma assinatura do Pelé e o número 1000 impresso, também em dourado. Hoje em dia é raro achar essa camisa.

A segunda é a camisa que o Santos usou na última rodada do Brasileirão de 2016, em homenagem a Chapecoense. Essa camisa tem um valor sentimental muito grande por representar uma tragédia do futebol.

A terceira é a camisa preparada para o jogador Ganso usar na final do Mundial de Clubes de 2011, na qual o Santos infelizmente foi derrotado pelo Barcelona. Eu fui ao Japão assistir ao mundial, e mesmo com a derrota, foi uma das viagens mais emocionantes da minha vida, por isso essa camisa é tão importante.

A quarta é uma camisa da Dellerba, de 1993, que na verdade não tem nada demais, mas eu tenho um carinho muito especial por ser uma camisa dada pelo meu pai e acho que de todas as camisas que ele me deu, essa é a mais antiga que eu tenho guardado.

Algumas das camisas especiais da coleção de Gustavo

A Quantidade de Camisas e como é guardar a Históra

NaGaveta.com: Quantas camisas do Santos você tem? Qual o sentimento de ter tantas camisas e guardar uma parte da história do seu time do coração?

Gustavo: Hoje, tenho por volta de 125 camisas do Santos. Sendo 30% delas (mais ou menos) de jogo. Essas de jogo são praticamente de todas as últimas finais que o Santos disputou, ou ainda de jogos importantes, como a do jogo de despedida do Léo e em homenagem ao centenário da Vila Belmiro, contra o Benfica, em 2016.

A mais antiga que tenho hoje é uma da Topper, de 1983, presente do meu amigo Guilherme Godoy, também torcedor do Santos. Eu não coleciono só camisas. Tenho também ingressos, revistas, matérias, DVD’s de jogos, tudo relacionado ao Santos me interessa. Guardar um pequeno pedaço da história do clube que a gente ama é gratificante. Através dessa coleção conheci muitas pessoas bacanas que hoje se tornaram grandes amigos.

Uma parte da coleção de camisas de Gustavo

NaGaveta.com: Nos conte alguma história curiosa de como conseguiu alguma de suas camisas?

Gustavo: Bom, hoje em dia com os grupos de colecionadores nas redes sociais, ficou muito mais fácil comprar as camisas. Mas ainda assim tem camisas raras, que são difíceis de aparecer e, quando aparecem, você tem que comprar na hora. Já deixei para comprar depois algumas camisas e acabei perdendo e me arrependendo.

Uma história curiosa aconteceu quando comprei essa camisa da Anddma que citei, comemorativa do milésimo gol do Pelé. Eu vi no Mercado Livre e ela estava em leilão. Dei um lance e um pouco depois alguém cobriu minha oferta. Eu cobri a oferta novamente e a pessoa cobriu de novo a minha oferta. Ficamos durante algum tempo assim. Eu dava o lance, essa pessoa cobria. E vice-versa. Até que me bateu uma ideia. Vi que horas o leilão acabava e deixei a oferta da pessoa valendo até alguns segundos antes do leilão acabar. Quando faltava uns 10 segundos dei o meu lance e o leilão acabou, e assim consegui a camisa.

Emerson Morelli

Fanático por futebol desde garoto, o colecionismo se tornou uma extensão disso.

Talvez você também se interesse por...

1 Response

  1. Tia Regina diz:

    Oi meu bem Parabéns pela sua coleção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *