Colecionador – Juliano Cavalleri

Galera do Na Gaveta, hoje vamos a mais uma entrevista da Série Especial com os colecionadores de camisas de futebol.
Hoje o Blog vai até o Rio Grande do Sul, entrevistar o colecionador Juliano Cavalleri, que vai nos contar um pouco mais sobre sua coleção de camisas com foco nas camisas dos clubes gaúchos e sobre como o futebol de sua terra o inspira a colecionar.

NaGaveta: Como começou a colecionar? Alguém em especial te incentivou?

Juliano: Comecei a me tornar colecionador quando percebi que cada camisa carregava sua própria história. Encontrei nessa prática uma maneira de ter essas lembranças e guardar essas histórias de maneira especial. Não tive o incentivo de ninguém.

NaGaveta: Sua coleção tem algum foco específico?

Juliano: Na minha coleção o foco principal são os times gaúchos e o Grêmio. Mas também gosto de times pequenos do brasil, sul americanos e do México.

Ancheta e Tavarelli os Destaques da Coleção

NaGaveta: Qual camisa você destaca na sua coleção?

Juliano: Minha camisa destaque da coleção é uma do Grêmio de 75, autografada pelo jogador Ancheta. Entre as que mais curto e acho especial é a camisa do Tavarelli. Apesar dele ter sido um dos responsáveis pelo rebaixamento do Grêmio em 2004. Mas é uma camisa bem diferente do comum com um macaco estampado, é uma camisa rara e difícil de conseguir.

O Foco no Futebol Gaúcho

NaGaveta: Vamos focar na sua coleção de times gaúchos e do Grêmio. Gostaria de saber como o futebol do Sul te inspira na sua coleção, e falando sobre a camisa dos pequenos do Sul qual delas você destaca e porquê?

Juliano: O futebol do sul me inspira pelo modelo de jogo, campo e raça. O Gauchão acho um campeonato muito bem disputado tanto que a dupla Grenal só foi se classificar nas últimas rodadas desse ano. Mesmo com oito vagas e a disparidade financeira entre a dupla e o restante das equipes, fora a já conhecida raça pois não tem bola perdida. Os campos dos clubes do interior que apesar da pouca estrutura, são bem atrativos ao futebol na minha visão. Como dizem os gaúchos “Não está morto quem peleia”. E aqui os times do interior batalham até a última gota de suor, ter a camisa desses times me da o prazer de carregar um pouco da história do futebol gaúcho comigo. A camisa que destaco na minha coleção dos times do Sul é a do Esporte Clube Encantado time já extinto. Foi uma camisa muito difícil de conseguir e alguns dos amigos que fiz no colecionismo me ajudaram muito a conseguir.

Juliano e Sua Coleção de Camisas

Camisa nas Compras ao Mercado

NaGaveta: Nos conte alguma história curiosa que você ja passou pra conseguir uma camisa.

Juliano: No início do mês de Março fui com a minha esposa ao mercado para as compras do mês, quando avistei dentro do mesmo um Senhor com uma camisa do Canoas FC. Abordei o Senhor (ele ja com cheiro de álcool). Perguntei se ele não gostaria de me vender a camisa por R$ 30,00. Ele aceitou na hora tirou a camisa dentro do mercado mesmo e saiu satisfeito. Porém com certeza não mais do que eu. Lembro que minha esposa ficou um pouco constrangida no momento mas hoje em dia ela ate me ajuda a abordar andarilhos e pessoas nos lugares.

Por fim e como sempre, agradecer a entrevista e disponibilidade do amigo Juliano Cavalleri e sempre lembrando aqui no Na Gaveta, o espaço é todo seu e o próximo pode ser você, Comente Curta e Compartilhe #NaGaveta

Emerson Morelli

Fanático por futebol desde garoto, o colecionismo se tornou uma extensão disso.

Talvez você também se interesse por...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *