Insólito FC | Cotonifício Rodolfo Crespi FC

Cotonifício Rodolfo Crespi Futebol Clube.

Fundado em 24 de abril de 1924, da fusão dos clubes Cavalheiro Crespi Futebol Clube e Extra São Paulo Futebol Clube, tradicionais clubes da várzea paulistana. Nessa época, foram mantidas as cores originais do Extra São Paulo Futebol Clube, que eram o vermelho, branco e preto, além de quase todo seu plantel, já famoso na várzea. Já a sede social, foi cedida pelo Cavalheiro Crespi Futebol Clube.

Cotonifício Rodolfo Crespi Football Club

Um ano depois, uma área que era utilizada como cocheira para os cavalos, localizada na Alameda Javry, foi doada por Rodolfo Crespi para que fosse utilizada na prática do esporte que se popularizava naqueles anos.

Em 1929, apenas 5 anos após sua fundação, conquistava com uma campanha fulminante, o título de Campeão Paulista da Segunda Divisão. Foram 13 vitórias, 2 empates e apenas 1 derrota e com a excelente campanha foram convidados a disputar a Primeira Divisão. Passado um, em 19 de fevereiro de 1930 em uma assembléia extraordinária, o clube teve escolhido um novo nome: Clube Atlético Juventus, nome esse sugerido pelo Conde Rodolfo Crespi, aquele mesmo que doou o estábulo no que se transformaria no Estádio da Rua Javari.

Estádio da Rua Javari

Estádio da Rua Javari

Com o nome do clube de coração do Conde, descendente de italianos escolhido, as cores que seriam utilizadas seriam as mesma em homenagem ao clube de Turim, porém Corinthians, Santos e Ypiranga já utilizavam as mesmas cores. Suas cores tradicionais também já eram utilizadas por São Paulo da Floresta e Internacional. Então, o Conde deu mais um pitaco. E clube que tinha um Conde, pitaco dado era pitaco cumprido.

As cores do novo clube então seriam o grená e o branco, as cores do outro clube de Turim, rival da Juventus, o Torino.

Uma outra história conta que Rodolfo Crespi era torcedor da Juventus, mas o filho simpatizava pela Fiorentina. Assim, foi decidido que o clube teria o nome de Clube Atlético Juventus e a camisa viola da Fiorentina. Com o tempo, os tecidos violetas não conseguiam manter a coloração original e se transformaram em grenás, que acabou sendo efetivada como a cor oficial do clube. A história, nessa versão, de que as cores escolhidas foram a do Torino, rival da Juventus, é uma coincidência.

Escudo e cores do Juventus

Essa é a curiosa história da fundação de um dos mais carismáticos clubes da capital paulista, que tem nome de Juventus e cores de Torino.

Já nasceu esse moleque, bem travesso.

O resto da história, todos já bem conhecem.

Fábio Vilela

Fábio Vilela cozinha, desenha, fotografa, coleciona camisas e gosta de falar de futebol. Adora lembrar dos craques dos anos 90 e da época de ouro do Calcio. Relembra com nostalgia dos seus esquadrões de futebol de botão, que ele mesmo fazia. Fã de polêmicas e de Cantona, Sérgio Ramos, Luis Suarez, Batistuta e acha La Bombonera o estádio mais legal do mundo.

You may also like...

1 Response

  1. 22/05/2019

    […] Barbas do Profeta vocês viram como a paixão por Juventus e Torino deram origem ao uniforme do Juventus da Mooca, em São […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *