Estádio Nicolau Alayon

E o Por Fora das 4 Linhas visita neste domingo a capital paulista e aproveitando o local que sediou ontem mais um Encofut. Partiu então contar um pouco sobre o Nicolau Alayon, o estádio do Nacional AC.

Mas antes destacamos que a partir de hoje o quadro Por Fora das 4 Linhas também dará voz ao torcedor, para que ele fale com propriedade sobre o estádio do seu time de coração. Dando o pontapé inicial, o Na Gaveta ouviu o comerciante e conselheiro do Nacional AC, Deivid Henrique da Silva, de 34 anos.

O Estádio

Situado no bairro da Barra Funda, o Estádio Nicolau Alayon, do Nacional Atlético Clube também é conhecido pelo nome de Comendador Souza, por conta de uma das ruas que dá acesso às suas dependências. A outra entrada é pela Avenida Marquês de São Vicente. O estádio foi erguido entre 1937 e 1938. A inauguração do estádio aconteceu no dia 14 de Maio de 1938, ocasião em que o Nacional foi derrotado pelo Corinthians por 2×1. O primeiro gol feito no Nicolau foi do jogador Carlos Leite do Nacional.

A inauguração do Estádio nos jornais

Apesar da capacidade atual para 9.660 torcedores, o Nicolau Alayon registrou seu público recorde com números bem maiores. Em 21 de Fevereiro de 1970, quando o Nacional derrotou o São Paulo por 1×0. Estiveram presentes 22.000 torcedores no estádio localizado no bairro da Barra Funda. Este jogo era valido pelo torneio dente de leite da TV TUPI. Muricy Ramalho jogava pelo São Paulo, o autor do gol ferroviário foi o garoto Monga”. E Nicolau Alayon Deivid, nos conte sobre ele.

“Nicolau Alayon foi presidente do clube por quase 30 anos deixando o cargo em 1950. Foi um dos maiores entusiastas do futebol no Brasil, uruguaio de nascimento já havia adquirido sua cidadania Brasileira devido ao tempo no país e trabalho nas ferrovias.”

Nicolau Alayon o homem que dá o seu nome ao estádio

Dados do Estádio

O estádio é um dos mais tradicionais da cidade de São Paulo, sendo construído pouco antes da segunda guerra, passando por reformas posteriormente. Hoje, além de jogos do time do Nacional, o estádio é importante palco para jogos das divisões inferiores do futebol paulista. Anualmente o estádio Nicolau Alayon é sede fixa da Copa Paulista de Futebol e até a sede da Seleção Brasileira de Rugby.

As dimensões do gramado são de 117,50 x 71,60. Uma curiosidade ocorreu no Pan-americano de 1963 quando o estádio serviu como sub-sede para as seleções que disputavam o torneio de futebol em São Paulo. Chile e Argentina, Uruguai e Chile jogaram no estádio.

O Jogo Marcante de Deivid

Deivid nos conta também de um jogo marcante para ele, que ocorreu em 2014. “ Pela bezinha, fomos para o intervalo perdendo de 1×0 do União Mogi. O time parecia abalado mas voltou para o segundo tempo voando e venceu a partida por 2×1. Assim saímos do inferno da bezinha e ainda derrubamos o alambrado”.

O Triste Episódio

O Comendador Souza também foi o palco de uma tragédia. Tradicionalmente uma das sedes da Copa São Paulo de Futebol Júnior, o estádio foi palco de uma tragédia, em 23 de janeiro de 1992, durante partida entre São Paulo e Corinthians, válida pelas semifinais da edição daquele ano. Como o Estádio do Pacaembu estava indisponível, devido ao material usado em um show, no fim de semana anterior, o clássico estava marcado para a Rua Javari, mas optou-se por transferi-lo para o Nicolau Alayon, para permitir uma presença maior de público.

O “clima de guerra” entre as torcidas não ficou limitado a xingamentos e provocações: com bombas e rojões proibidos dentro do estádio, torcedores infiltravam-se por trás das arquibancadas, para jogar bombas sobre os adversários, por cima do muro. Uma delas, provavelmente atirada por torcedores do São Paulo, atingiu Rodrigo de Gásperi, um torcedor corintiano de treze anos.

Houve pânico entre boa parte dos doze mil torcedores, e o jogo ficou interrompido por 25 minutos, mas acabaria retomado até o fim da prorrogação. “Este estádio é uma gaiola”, protestou o técnico são-paulino, Oscar. “Daqui a pouco, a torcida invade o campo”. Rodrigo morreria quatro dias depois, no hospital, vítima de lesões cerebrais.

E assim colocamos um ponto final no Por Fora das 4 Linhas de hoje, que contou um pouco sobre o conhecido Nicolau Alayon, o estádio do Nacional AC e desde já fica o nosso agradecimento ao torcedor Deivid pelo seu relato diante do estádio que ele conhece tão bem.

Por Marcelo Sampaio e Deivid Henrique da Silva

Talvez você também se interesse por...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *