Gíria do boleiro de A a Z #2

gíria

substantivo feminino

  1. linguagem informal com vocabulário rico em expressões metafóricas, jocosas, elípticas e mais efêmeras que as da língua tradicional.
  2. dialeto usado por determinado grupo social [Seu processo de formação inclui acréscimo de sons ou sílabas, uso de certos códigos etc.].
  3. linguagem de marginais, difícil de ser compreendida por outras classes sociais, e que costuma funcionar como mecanismo de coesão tribal [A gíria, a princípio linguagem de marginais, estendeu-se a outros grupos sociais.].
  4. p.ext. linguajar rude; calão.
  5. linguagem própria daqueles que desempenham a mesma profissão, arte etc.; jargão.

Vamos mostrar então, de A a Z, as gírias dos boleiros. Do pessoal das peladas aos narradores esportivos, do pessoal da base aos profissionais, das frases dos campos profissionais aos da várzea que vieram parar no nosso dia-a-dia.

E o Gíria de Boleiro de hoje continua com as últimas gírias com a letra A.

gíria do boleiro nagaveta.com

Afunilar

Insistir com jogadas pelo meio para chegar ao gol adversário.

O Canoinhas está fechado na defesa e o Caldas insiste nas jogadas pelo meio.

Amistoso

Jogo festivo ou disputado fora de um campeonato e que não vale ponto, não vale caneco, não vale nada.

Amarelar

Equipe ou jogador que não agem na hora do jogo, conforme o esperado. Falta de atitude. Sinônimo de pipocar.

Zezé pipocou no clássico e não viu a cor da bola.

Amarrar o jogo

Prender a bola, catimbar, não deixar o adversário jogar.

O jogo está amarrado no meio de campo. O Universitário não deixa o Atlético criar jogadas de ataque.

Apagar das luzes

Instantes finais da partida. O último minuto ou últimos segundos de jogo. Último lance da partida.

Álvaro quase empata a partida. Ele carimbou a trave já no apagar das luzes aqui no Castelão.

Apanhar da bola

Quando o jogador não consegue dominar uma bola fácil que foi tocada para ele ou perde a bola facilmente numa jogada bizarra.

Que beleza, Fininho apanhou da bola ali na lateral do campo. 

Apelar

Cometer falta violenta para impedir o seguimento de um lance.

Junior Pilão apelou para matar o contra-ataque do Itaquera. Esqueceu completamente a bola e deu uma voadora no peito de Didi.

Apitar o jogo

Jogador que reclama de todas as decisões do árbitro e reclama de todas as jogadas da equipe adversária.

Luizinho reclama novamente com o árbitro. Ele está querendo apitar o jogo e já já será advertido.

Arco

As traves, baliza, meta, o gol. Por onde a bola tem q entrar e balançar as redes para tirar os zeros do placar.

Arriscou o chute para o arco mas a bola passou raspando a trave.

Arqueiro

Aquele que defende o arco. O guarda-metas, goleiro, o jogador solitário. Cancerbero em espanhol.

A bola iria na gaveta mas o arqueiro botou ela para escanteio.

Arroz com feijão

Jogar simples, sem enfeitar ou fazer firula.

Tem que jogar o arroz com feijão, sem inventar e querer dar toquinho de letra.

Arrumar a casa

Organizar o plano tático após ataque adversário, tomar um gol ou ter um jogador expulso de campo.

Agora o treinador vai ter q sacar um dos atacantes para recompor a defesa e arrumar a casa.

Artilheiro

O jogador que marca mais gols. O centroavante, matador, goleador.

Mocotó segue disparado na artilharia do campeonato capixaba com 27 gols marcados em 10 rodadas.

Atalho

Diz-se quando um jogador experiente chega antes na jogada.

Romário marcou o quarto dele no jogo. O baixinho conhece os atalhos do campo e chegou antes da marcação para finalizar para o gol.

Atropelar

Vencer a partida sem tomar conhecimento do adversário.

O Íbis atropelou o Ajax e meteu 5 a 0 só no primeiro tempo.

Avenida

Quando um jogador tem todo o espaço a sua frente sem nenhum marcador próximo.

O lateral alemão não marcou e deixou uma avenida na ponta esquerda para Mirandinha.

Fim de papo por hoje pessoal.

Semana que vem tem mais Gíria do Boleiro e o nagaveta.com conta com a sua participação.

Mande para nós sugestões para os próximos capítulos e se esquecemos de alguma gíria de boleiro, mande para nós sua dica, que faremos questão de mostrar que você leitor, também manja da parada.

Fábio Vilela

Fábio Vilela cozinha, desenha, fotografa, coleciona camisas e gosta de falar de futebol. Adora lembrar dos craques dos anos 90 e da época de ouro do Calcio. Relembra com nostalgia dos seus esquadrões de futebol de botão, que ele mesmo fazia. Fã de polêmicas e de Cantona, Sérgio Ramos, Luis Suarez, Batistuta e acha La Bombonera o estádio mais legal do mundo.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *