Gíria do boleiro de A a Z #1

gíria

substantivo feminino

  1. linguagem informal com vocabulário rico em expressões metafóricas, jocosas, elípticas e mais efêmeras que as da língua tradicional.
  2. dialeto usado por determinado grupo social [Seu processo de formação inclui acréscimo de sons ou sílabas, uso de certos códigos etc.].
  3. linguagem de marginais, difícil de ser compreendida por outras classes sociais, e que costuma funcionar como mecanismo de coesão tribal [A gíria, a princípio linguagem de marginais, estendeu-se a outros grupos sociais.].
  4. p.ext. linguajar rude; calão.
  5. linguagem própria daqueles que desempenham a mesma profissão, arte etc.; jargão.

As gírias são expressões utilizadas informalmente. São palavras ou frases que fogem das regras e da norma culta, utilizadas em algumas regiões e culturas, em determinados grupos ou classes sociais. São criadas no intuito de substituir termos formais da língua e não podem ser interpretadas de maneira literal, mas sim em seu sentido conotativo ou figurado. Por serem criadas por determinados grupos, muitas vezes são incompreendidas por outros, determinando sua importância e função social na medida que consolida o sentimento de identidade desses grupos.

Em outras palavras, as gírias são termos populares específicos que surgem em determinados contextos sociais e que aos poucos, vai fazendo parte do processo de comunicação entre pessoas de determinado grupo social.

E o futebol está inserido nesse contexto gramatical aí de cima. Seja com apelidos, palavras e expressões antigas ou atuais, todo mundo já ouviu e até mesmo já usou algumas delas.  A cultura do futebol no país se apropriou delas se popularizou junto com o esporte. Existem algumas diferenças regionais, mas determinadas expressões são conhecidas e usadas no Brasil inteiro. Hoje a gíria e suas frases feitas são tão comuns no futebol brasileiro que não conseguimos imaginá-lo sem elas.

Vamos mostrar então, de A a Z, as gírias dos boleiros, do pessoal das peladas aos narradores esportivos, do pessoal da base aos profissionais, das frases dos campos profissionais aos da várzea que vieram parar no nosso dia-a-dia.

E o Gíria de Boleiro começa, óbvio, pela camisa 1: a letra A.

gíria do boleiro nagaveta.com

Abafa

Pressão incessante sobre a defesa adversária.

O Parnaíba vai pro abafa em busca do gol de empate.

Abrir o bico

Aquele cara que não aguenta mais correr. Cansou, não aguenta mais correr, abriu o bico.

O lateral Rapadura abriu o bico e não aguenta mais acompanhar na marcação o atacante Colibri.

Não confundir com o aquele tipo que faz denúncias, mais conhecido como cagueta.

Abrir o placar

Quando algum jogador ou equipe marca o primeiro gol de uma partida.

Abelha abre o placar para o Paduano aqui no Maracanã.

Abriu a caixa de ferramentas

Leia o Açougueiro antes para facilitar a compreensão.

Quando o marcador mostra todo seu arsenal para parar um craque ele usa todas as ferramentas possíveis numa sequência ou todas em conjunto.

O zagueiro Capixaba abriu a caixa de ferramentas e parou o atacante Ribamar.

Acabar com o jogo

Jogador que faz uma partida perfeita sem dar chances ao adversário.

Brandão ontem acabou com o jogo.

Açougueiro

Jogador violento, desleal, geralmente um zagueiro ou volante.

Ribamar é um açougueiro, quase arranca a perna do Zezito.

Aceitar

Quando o goleiro leva um gol facilmente defensável.

Pedrosa aceitou o peru lá do meio da rua.

https://www.instagram.com/championsshirts.cs/

Acidente de trabalho

Quando dois jogadores disputando a bola acabam se chocando involuntariamente.

Não foi falta. Os dois estavam olhando a bola e se chocaram. Acidente de trabalho.

Acréscimo

O tempo de jogo após os 45 minutos de cada etapa.

E já estamos nos acréscimos por conta do árbitro colombiano.

Afundar o time

Quando determinado atleta vai mal e compromete a performance de toda a equipe.

Renatinho está afundando o time hoje com suas falhas na defesa.

Alambrado

Tela de arame que divide a torcida do campo de jogo.

Na gíria dos peladeiros de fim-de-semana Alam Brado é aquele amigo ruim de bola que só fica a beira do gramado porque ninguém quer ele no time.

A torcida faz pressão no alambrado que é do lado da linha lateral.

Alçapão

Estádio pequeno, mas que geralmente fica lotado, e que tem os alambrados bem próximos ao gramado.

O Atlético sente a pressão no alçapão do Andradina.

Aliviar

Afastar a bola da área defensiva rebatendo para longe.

Afastaaaaaa a zaga.

Amarelar

Quando time ou jogador ficam irreconhecíveis na partida não tendo coragem e atitude durante a partida.

E a Seleção Brasileira amarelou para os alemães.

Amarrar o jogo

Segurar o jogo prendendo demais a bola, catimbando e parando demais a partida com faltas.

O Golden Plate amarra o jogo para garantir o resultado agora que esta com um homem a menos.

Fim de papo por hoje pessoal.

Semana que vem continuamos com o Gíria do Boleiro e o nagaveta.com conta com a sua participação.

Mande para nós sugestões para os próximos capítulos e se esquecemos de alguma gíria de boleiro, mande para nós sua dica, que faremos questão de mostrar que você leitor, também manja da parada.

Fábio Vilela

Fábio Vilela cozinha, desenha, fotografa, coleciona camisas e gosta de falar de futebol. Adora lembrar dos craques dos anos 90 e da época de ouro do Calcio. Relembra com nostalgia dos seus esquadrões de futebol de botão, que ele mesmo fazia. Fã de polêmicas e de Cantona, Sérgio Ramos, Luis Suarez, Batistuta e acha La Bombonera o estádio mais legal do mundo.

You may also like...

1 Response

  1. Paulo Fernandes diz:

    Boa tarde , muito legal Fabio ,está reportagem parabéns continue a nos proporcionar excelentes reportagens ok

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *