Goalkeeper – David Seaman

Com sua imagem marcante, Seaman era ícone da seleção inglesa.

O Goalkeeper de hoje já atuava no futebol inglês bem antes da Premier League começar, quando a primeira edição do campeonato teve início em 1992 ele já havia passado por Leeds, apesar de não ter jogado nenhuma partida profissional pelo clube que o revelou, Peterborough, Birmingham e Queens Park Rangers antes de chegar ao Arsenal, em 1990, clube que defendeu por quase toda sua permanência na Premier League.

David Seaman foi o dono da camisa 1 do Arsenal durante a melhor fase do clube londrino e foi de extrema importância tanto em campo quanto fora das quatro linhas com sua liderança e ajudou a equipe a vencer três edições da liga e quatro finais da FA Cup, além de títulos nacionais de menor expressão e uma recopa europeia, em 1994, contra o Parma.

Respeitado por todos os adversários, Seaman marcou época no Arsenal.

Nos treze anos de Arsenal, Seaman é lembrado por belíssimas defesas, mas uma em especial na sua última temporada pelos Gunners é de tirar o fôlego, semifinal da FA Cup temporada 2002/2003 contra o Sheffield United. Já próximo do final da partida o time adversário cobra um escanteio na área e depois de um bate rebate a bola sobra para Peschisolido cabecear para o gol aberto, dentro da pequena área, mas o goleiro de 39 anos faz uma das defesas mais bonitas da história, você pode ver a defesa amanhã na coluna Defesa Na Gaveta.

Uma das defesas mais plasticas da história do futebol.

Na sua última temporada em 2003/2004 ele foi para o Manchester City, jogou algumas partidas, mas devido a lesões, principalmente uma no ombro, e sua idade avançada que atrapalhava na recuperação, ele decidiu encerrar a carreira aos 40 anos, abrindo caminho para David James, que foi sua indicação para os Citzens.

Pelo Manchester City jogou menos de uma temporada, resolveu parar devido as lesões.

Atuou pelo English Team por quatorze anos e fez parte do início da geração mais promissora da Inglaterra. Foi titular em duas Copas do Mundo, 1998 e 2002, e também em duas Eurocopas, 1996 e 2000. No seu último ano de seleção vinha sofrendo duras críticas por falhas nos gols adversários, principalmente no gol que ajudou a eliminar a Inglaterra, numa falta cobrada do meio da rua por Ronaldinho Gaúcho.

Um goleiro grande, com 1,91 de altura, e bastante estiloso, o “The Last Lion” estava na contramão dos goleiros de sua época, ostentava um grande rabo de cavalo, além do seu inseparável bigode, parecia um dos ícones do rock britânico nos anos 90. Sua aparência com certeza o destacava dos outros goleiros espalhados pelo mundo.

Bom goleiro, ícone de uma geração e com muito estilo próprio.

Sua maior qualidade eram as defesas no reflexo. Com uma velocidade de reação fora do comum fez ao longo da carreira muitas defesas em que a torcida adversária já comemorava o gol.

David Seaman é mais um “Goalkeeper” na coluna Paredões Na Gaveta.

Rodrigo Pedrosa

Membro da família Na Gaveta, apaixonado por esportes, colunista do Manchester United no Manchester United Brasil, colecionador, Pai de Alice e Carol, atleta de handebol no Clube Português do Recife...

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *