Colecionador Guilherme Cabecinha

Hoje o Blog vai até a cidade de Viamão no Rio Grande do Sul entrevistar o colecionador Guilherme Moreira Costa. Também conhecido pelo apelido Guilherme Cabecinha que acabou de completar 100 camisas do foco de sua coleção. Vai nos contar um pouco sobre sua coleção com foco em seleções FIFA. Mais uma entrevista de nossa série que sempre mostra os colecionadores de várias partes do Brasil e do Mundo.

Uma Coleção com foco bem especifico.

Na Gaveta: Como começou a colecionar? Alguém em especial te incentivou?

Guilherme: Na realidade coleciono camisas de futebol desde criança. Meu tio, é o ex lateral direito Paulo Roberto com passagens pelo Grêmio, Santos, São Paulo, Corinthians, Vasco, Botafogo, Fluminense, Atlético MG, Cruzeiro, Cerro Porteño e Seleção Brasileira. Ele trocava as camisas em jogo e me dava de presente, com o passar do tempo, fui dando ou trocando essas camisas, fato esse, que me arrependo. Então comecei a colecionar camisas de Seleções FIFA, pois como são camisas mais discretas, uso no dia a dia para dar aula, sou Professor de Educação Física.

Na Gaveta: Sua coleção tem algum foco específico?

Guilherme: Meu foco é muito restrito, coleciono apenas camisas de Seleções FIFA. Camisas tamanho XL ou XXL (camisas asiáticas e africanas), sem número.

Na Gaveta: Qual camisa você destaca na sua coleção?

Guilherme: Sempre respondo da mesma forma essa pergunta.  A resposta é a mesma para um pai que tem dois filhos ou mais e alguém pergunta de quem ele mais gosta. Se tivesse que escolher 20 camisas seria muito difícil, imagina destacar apenas uma né?
Essa missão é quase impossível (rs).

O que pensam os amigos e familiares sobre a coleção de Guilherme

Na Gaveta: As pessoas próximas, o que acham dessa sua paixão?

Guilherme: As pessoas mais próximas, acham minha coleção bem legal e interessante. Curtem principalmente as camisas mais exóticas, raras. Principalmente de alguns países que nem sabiam que existia (como por exemplo: Butão, Belize, Sudão do Sul, Brunei, Bielorrússia, Gibraltar Liechtenstein entre outros).

Guilherme e sua coleção de camisas

Na Gaveta: O porque desse foco tão específico e como é ter camisas apenas do foco?

Guilherme: Em relação ao foco, sempre gostei de pesquisar sobre os países e suas capitais. Inclusive uso uma planilha para controlas as camisas que tenho e as que ainda faltam. Acho lindas as camisas sem patrocínio, a isso adiciono o fato de usar diariamente as camisas nas aulas (quem não manja de camisas de Seleções pode não saber que se trata de uma camisa de futebol). As camisas não tem número e patrocínio, ou seja, são lisas, isso me fascina. Já o fato de ter um foco tão específico, na minha visão, é uma vantagem. Pois atualmente como existem muitas camisas lindas, isso não me seduz, pois somente pego camisas de Seleções FIFA.

Planilha usada pelo colecionador Guilherme Cabecinha

 

Na Gaveta: Nos conte alguma história curiosa de como conseguiu alguma de suas camisas.

Guilherme: Geralmente consigo minhas camisas, através das ajudas dos Amigos, no Ebay, na loja Classic Football Shirts. Como não são usadas em jogo, consigo com mais tranquilidade. Acho que quando chegar na casa das 150 camisas, minha busca ficará bem mais difícil. Pois existem camisas de países que são difíceis de conseguir, ainda mais sendo XL ou XXL e sem número, mas isso me motiva ainda mais.

Como sempre, agradecer a entrevista e disponibilidade do amigo e colecionador Guilherme Cabecinha. Por fim sempre lembrando aqui no Na Gaveta, o espaço é todo seu e o próximo pode ser você.

Emerson Morelli

Fanático por futebol desde garoto, o colecionismo se tornou uma extensão disso.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *