É incrível o peso da nossa camisa.

Lucas Holanda vem com tudo nas nossas colunas sobre a Premier League e é claro que ele não poderia ficar de fora do Viradas Históricas ,  acompanhe agora a virada espetacular que ele vai contar para a gente.”

Equipe Na Gaveta 

 

 

Virada espetacular dos Reds na Liga Europa.

“A camisa vai pesar”. Todo fã de futebol já ouviu essa frase, seja ela dita num bar, no estádio, ou no sofá de casa. Essa expressão é muito falada por conta de inúmeras situações revertidas pelos times de camisas mais expressivas no futebol, na qual não eram favoritos ou estavam em apuros e mesmo assim conseguiram reverter tais adversidades.

Na Inglaterra, não é diferente, mais precisamente em Liverpool, terra dos Beatles. Os Reds possuem uma força incrível, algo fora do comum para reverter suas situações. Quem não lembra da maior final de Champions da história? Após estar perdendo por 3×0 o clube inglês conseguiu o empate e conseguiu o pentacampeonato nos pênaltis. Detalhe importantíssimo: Do outro lado era simplesmente o Milan.

Sempre muito fã de futebol, minha relação com os Reds foi tomando mais intimidade na temporada 2011/2012, naquele time bem limitado, mas com algo diferencial de todos os clubes do mundo até os dias de hoje: A Torcida. Aquela magia sensacional do Anfield me converteu em mais um red pelo mundo, agradeço até hoje. Com o incrível acesso que temos hoje a internet, fui ficando cada vez mais fã, colecionando camisas, além de claro, acompanhar o Liverpool pela TV em todos os jogos. Outro fator crucial que me fazia cada vez mais acompanhar os Reds, tinha nome e sobrenome: Phillipe Coutinho. Sempre gostei muito do futebol do brasileiro e após ele se transferir para o Liverpool, estava tudo em casa. Vi Coutinho crescer no clube inglês e se tornar o grande craque que ele é hoje, e após isso tudo ele sai da forma mais ingrata possível, mas isso não vem ao caso. Boa sorte ao brasileiro.

Dando um salto temporal, chegamos na temporada 2015-2016. Primeiro semestre turbulento, troca no comando técnico e muita desconfiança da torcida. O alemão Jürgen Klopp assume para tentar trazer de volta o Liverpool as glórias que foram conquistadas num passado vitorioso. Cenário perfeito para o alemão, tinha o mata mata da UEFA Europa League, ótima oportunidade.

No Mata Mata eliminamos o Augsburg, jogando bem mal… aí veio nosso rival, United. Em 2 jogos que fomos bem superiores, despachamos eles e agora tínhamos nas quartas um jogo que todos aguardavam: Liverpool x Borussia Dortmund. Pela primeira vez após sua passagem por lá, o alemão Klopp iria enfrentar seu ex clube, e travariam um duelo incrível.

Após o 1×1 em Dortmund, era a hora da volta no Anfield. Um espetacular You”ll Never Walk Alone cantado pelas duas torcidas simultaneamente naquela noite de 14 de Abril de 2016. Após o show das torcidas, começava ali um dos melhores jogos da história.

Mesmo com a vantagem do 0x0, o Liverpool não se acertava em campo e com 10 minutos da etapa inicial estava perdendo por 0x2, gols de Mhkitaryan e Aubameyang, respectivamente. O jogo continuou muito nervoso e com o Borussia tomando conta do placar, bem mais lúcido em campo. Mas nossos somos o Liverpool, após 3 minutos do 2º tempo, Origi desconta. O Anfield vira um inferno vermelho, a torcida que já apoiava se incendeia cada vez mais, pressão tremenda, precisávamos virar. 10 minutos após o gol do Liverpool, Matt Hummels acerta um lançamento incrível para Marco Reus fazer 1×3. Seria o fim da caminhada? Como fazer 3 gols em tampouco tempo? Confesso que por mais otimista que seja, as coisas estavam difíceis. Mas como eu disse: Aqui é Liverpool!

A torcida que nunca abandonará o time continuou a apoiar e após uma tabelinha entre Coutinho e Milner, o brasileiro faz um golaço de fora da área. Temos um jogo. Aos 32 minutos da etapa complementar, Coutinho bate o escanteio e Sakho desvia de cabeça para o gol, conseguimos empatar, 3×3. Mas não era o suficiente, para conseguimos a vaga na semi, precisávamos virar. Cada olhar para TV era de mais nervosismo, o coração ficava mais apreensivo com o passar do tempo.

O lance que toda torcida do Liverpool cabeceou junto…

Eis que o futebol resolve aprontar uma daquelas que nem o mais otimista torcedor do Liverpool imaginaria. Aos 47 do 2º tempo uma falta. Última chance para tentarmos a virada, coração a 1000 por hora. Milner bate a falta para Sturridge que devolve ao inglês para ele fazer o cruzamento mais sensacional de sua carreira. Após o cruzamento, segundos de expectativa para o desfecho. Acredito que todos nós pulamos juntos com o Lovren para cabecear. Era o gol da virada. Gol da classificação. Lágrimas em peso no Anfield, fiquei em choque e demorou para a ficha cair que tínhamos conseguido reverter uma das situações mais difíceis da história. No final da competição, infelizmente fomos vices. Mas um aviso: Respeitem nossa camisa pois ela entorta varal. Além de tudo, nunca caminharemos sozinhos, aqui é Liverpool!

You may also like...

1 Response

  1. Luiza diz:

    Perfeito!! Que jogo!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *