Intocáveis – “il fedele”

Nascido na capital italiana, Roma, em 24 de julho de 1983, defende até hoje o clube que leva o nome de sua cidade natal e pelo menos por enquanto não pretende mudar de ares. Com a aposentadoria de Totti passou a ser o principal capitão da equipe, uma referência para os jovens da categoria de base e orgulho para os torcedores. Chegou à equipe principal do Roma em 2001, e com 33 anos ainda tem lenha para queimar no futebol italiano. Na Squadra Azzurra faz uma função que passa despercebido para os amantes do futebol arte, mas para o Calcio é de extrema importância, é a primeira linha de defesa, função muito respeitada na Itália, estreou em copas com o título de 2006.

Poucos títulos na carreira foi o preço que pagou por sua lealdade à equipe romana, mas os poucos foram muito comemorados, duas Coppas Itália e uma Supercopa Italiana. Pela seleção venceu a Copa do Mundo 2006, a Eurocopa Sub21 e foi bronze olímpico em 2004, em Atenas.

Individualmente foi o melhor jogador jovem de 2006 e o melhor jogador italiano de 2009. Fez parte da seleção da Eurocopa 2012.

Na Alemanha, em 2006, teve sua estreia em copas, teve uma atuação discreta e participou de três partidas, entre elas a final contra a França. Poderia ter participado de mais jogos, mas foi expulso na partida contra os Estados Unidos.

Em 2010, na Copa da África do Sul, fez parte da envelhecida Itália e atuou nos três jogos da equipe, marcando um gol na estreia contra o Paraguai, mas o empate contra a Nova Zelândia e a derrota para a Eslováquia mandaram os italianos de volta para casa ao final da primeira fase da Copa.

Em 2014 chegaram ao Brasil com uma seleção forte e com esperanças de fazer uma boa Copa do Mundo, mas o grupo da morte deixava a torcida um pouco apreensiva. Dessa vez jogou apenas duas partidas, na vitória contra a Inglaterra e na surpreende derrota para a Costa Rica, e viu a classificação escorrer pelos dedos novamente.

Lealdade ao clube e à seleção, ele é figura carimbada em todas as competições que a Squadra Azzurra participou desde 2006, são três Copas do Mundo, três Eurocopas e duas Copas das Confederações, e provavelmente não serão as últimas…

Esse é Daniele De Rossi, o último Intocável dessa temporada Na Gaveta.

Rodrigo Pedrosa

Membro da família Na Gaveta, apaixonado por esportes, colunista do Manchester United no Manchester United Brasil, colecionador, Pai de Alice e Carol, atleta de handebol no Clube Português do Recife...

You may also like...

1 Response

  1. 10/01/2018

    […] meio campo Gattuso e De Rossi seriam a dupla de volantes, liberando Pirlo para a armação e criação das jogadas, além de ser […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *