O segredo da zebra Östersunds

Matéria originalmente publicada pelo Blog Mazzuia. Curta também a página no Facebook.

A jovem equipe do Östersunds, fundada em 1996 passou por uma revolução quando chegou a 4ª Divisão do Futebol Sueco. Rebaixados dentro de campo, um clube nascido pela fusão de agremiações pequenas da cidade de mesmo nome com 50 mil habitantes, decidiu que era hora de recomeçar.

O local tem muito turismo através do esporte de inverno. Viu sua história mudar com a chegada de Potter, xará do “bruxinho” infanto-juvenil. Graham Potter, ex-jogador se tornou treinador na temporada 2010. Em 5 temporadas comemorou 3 acessos, colocando o Östersunds na elite pela 1ªvez.

Potter, comemorando com um de seus jogadores

A Zebra e seu Passeio pela Europa

A temporada 2016/2017 terminou com um honroso 8ºlugar na Allsvenskan, nome da 1ªDivisão. Além de uma zebra histórica, o título da Copa da Suécia após empurrar o tradicional Norköping para o vice.

Para aqueles que acham que é pouco, o sorteio das fases preliminares da Europa League, os colocou frente a frente com o tradicional Galatasaray. Os turcos sucumbiram no frio sueco por 2 x 0. E com um certo excesso de confiança ou até arrogância, não reverteram o placar em casa: 1 x 1.

Jogar a fase de grupos era um sonho. Ir aos Playoffs talvez ainda fosse fora de hipótese, mas 6 partidas depois, o Östersunds avançou junto com o Athletic Bilbao.  Deixando Zorya e Hertha Berlin para trás. O próximo adversário será o Arsenal, no dia 15 de Fevereiro. Mas afinal, qual é o segredo desse até então desconhecido clube?

Um Segredo: O Time que foi educado a ler

Enquanto no Brasil vemos muitos jovens não estudarem ou sequer trabalharem para receber ajuda de custo nos times de divisões inferiores, sem chegar a um salário mínimo, sofrendo com dois períodos de treinamento e a grana ser insuficiente para ajudar em casa, trazendo constantes conflitos com familiares, Potter resolveu fazer uma “mágica” cultural: O elenco formado basicamente por suecos, alguns ingleses e africanos, é obrigado a ler livros, interpretá-los, atuar em espécie de mini teatro ou até criar exposições. A resistência do plantel no início foi vencida e agora há apresentações musicais com direitos a plateia, naquele que é classificado como um time “capital da cultura”. O último sucesso fora de campo foi o Lago dos Cisnes, com direito a 500 espectadores.
Caminhando lado a lado com a cidade, a sua média de público nos jogos também subiu em 12%, tendo um total de 6.000 torcedores apoiando seus feitos!

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *