Pernambuco como espelho para salvar o futebol nacional

Nesses últimos dias circulou um trabalho fantástico da Bridgestone falando sobre a ascensão dos fortes clubes europeus perante o futebol nacional em geral, você pode ver esse belo trabalho clicando aqui.

Não é a primeira vez que esse tipo de situação acontece em território nacional, há anos, nas décadas de 60 e 70 principalmente pelo rádio e nas décadas de 80 e 90 pela televisão havia quase que uma exclusividade para os times do Sul/Sudeste, principalmente para os times do Rio de Janeiro na época de ouro do rádio e São Paulo quando a televisão começou a tomar conta do futebol. Os times locais eram praticamente esquecidos e quase nunca citados, com isso quem gostava de futebol acabava acompanhado os clubes de lá, na seleção brasileira a maioria dos convocados também jogavam por lá, com exceção de Pernambuco, e as capitais de Bahia e Ceará, Salvador e Fortaleza respectivamente.

O interior da Bahia até hoje tem um grande número de torcedores do Flamengo.

O Nordeste passou a ser berço de torcedores fanáticos por times como Flamengo, Corinthians, Botafogo… Seus ídolos eram os craques desses clubes. Vale salientar que falo de uma época onde não existia internet, tv a cabo e outras formas que atualmente temos de acompanhar nossos clubes do coração.

Muitas vezes é mais fácil encontrar camisa de clubes europeus que de clubes nacionais.

Depois da semente plantada as novas gerações foram assumindo as paixões dos pais e daí temos hoje, mesmo com tanta informação e facilidade, a continuação de torcedores dos clubes de outras regiões.

Pernambuco, devido a um jornalismo forte e um bairrismo que só quem é daqui entende, abraçou a causa perdida e combate com unhas e dentes os torcedores locais de clubes de outras regiões. É impressionante o quanto a imprensa esportiva local bate nesse tipo de torcedor, há uns anos houve um jogo entre Fluminense e Botafogo na Arena Pernambuco e as rádios literalmente diziam para o torcedor boicotar o jogo e numa arena com capacidade de 45 mil pessoas apenas pouco mais de 7 mil acompanharam o jogo, em sua maioria de torcedores das regiões vizinhas, já falamos sobre essa resistência aqui mesmo, Na Gaveta.

Econtro de torcedores do Bayern em São Paulo.

Agora esse mesmo processo está acontecendo com os grandes clubes nacionais, eles vêm sendo engolidos pela febre europeia e quem pensa que este mal está chegando agora se engana. Já dividimos espaço na mídia com os grandes europeus há pelo menos vinte anos e o reflexo são esses pequenos torcedores do PSG, Real Madrid, Barcelona, Bayern Munich, Manchester United e City entre outros. Clubes que tem um poderio financeiro tão alto que os treinadores montam a seleção que quiser em seu elenco.

Evento oficial do Manchester United no Brasil, mostrando que os gigantes tem sim interesse no consumidor brasileiro.

Craques como Cristiano Ronaldo, Messi e Mbappé tomam conta do pedaço sem deixar o mínimo espaço para os craques dos clubes nacionais, e tudo acaba conspirando contra o futebol nacional, você pega jogos de vídeo game, como o FIFA ou o PES, e até constam os uniformes dos clubes brasileiros, mas não os jogadores devido à desorganização que é a nossa federação…

O Real Madrid é hoje o time estrangeiro com maior adeptos no Brasil, provavelmente você deve conhecer pelo menos algum simpatizante do gigante espanhol.

Para vencer essa guerra e trazer de volta nossas crianças temos que fazer como Pernambuco, nos juntarmos para bater pesado no invasor. Talvez assim ele perca o interesse em nos conquistar. Mas se engana quem acha que a batalha está começando agora, temos que correr atrás do tempo e torcedores perdidos…

Rodrigo Pedrosa

Membro da família Na Gaveta, apaixonado por esportes, colunista do Manchester United no Manchester United Brasil, colecionador, Pai de Alice e Carol, atleta de handebol no Clube Português do Recife...

Talvez você também se interesse por...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *