Torwart – Sep Maier

Josef Dieter Maier, mais tarde apenas Sepp Maier, é natural de Haar, nascido no dia 28 de fevereiro de 1944. Na juventude, defendeu o TSV Haar, entre 1952/59, onde também fazia aulas de tênis com seu amigo de infância, um tal de Franz Beckenbauer. No inicio, Maier não queria jogar pela falta de intimidade com a “gorduchinha”, mas aconselhado por Beckenbauer, acabou indo para o gol. Obrigado, Kaiser! Em 1959 chegou ao Bayern de Munique e de lá não saiu mais. Foram três anos atuando nas categorias de base até chegar ao profissional e se firmar como goleiro titular bávaro. Diferente de alguns jogadores, Maier sempre teve uma carreira sólida, sem declínios, chegando a ser considerado insano pela sua dedicação e treinamentos. Fato estes que cativava o torcedor e criava mais identificação com o goleiro.

Quatro após se profissionalizar, por sinal um ano marcante na carreira de Maier, veio o primeiro título com o Bayern – a Copa da Alemanha de 1965/66. Conquista diante do Meidericher por 4×2 e também pelo fato do arqueiro ser convocado para Copa do Mundo de 1966 da Inglaterra. Reserva, viu o selecionado alemão ser derrotado pelos donos da casa por 4×2, na prorrogação. Em 1970, no México e já titular, chegou na semi final, mas acabou derrotado pela seleção da Itália e assim conquistando o 3º lugar da Copa numa vitória pelo placar mínimo contra o Uruguai. Dois anos depois, sua primeira conquista com a camisa da seleção alemã – a Eurocopa, disputada na Bélgica e vencida contra os soviéticos num 3×0 na grande final.

Em 1974, mais uma Copa no currículo. E mais, foi A COPA para Maier e cia. do selecionado alemão. Além de jogarem diante dos seus torcedores, a Alemanha foi campeã mundial pela segunda vez, e contra a seleção tida como a grande favorita para o torneio – A Holanda. Antes disso, Maier fez um grande jogo na semi final contra a Polônia e foi considerado o responsável pela classificação alemã para final. No jogo decisivo, vitória de virada por 2×1, no estádio Olímpico de Munique e mais uma grande atuação do goleiro que parou o ataque holandês. Na Eurocopa de 76, mais uma final, porém sem título. Empate por 2×2 contra a Checoslováquia e derrota nos pênaltis por 5×3. Já em 78, a sua última Copa. Com uma primeira fase perfeita, sem levar gol, mas com um empate por 2×2 com a Holanda e uma derrota por 3×2 para a Áustria e fim pela luta do bicampeonato mundial para Maier e o tri alemão. No ano de 1979 um acidente de carro, onde o goleirão sofre várias fraturas e lesões e assim encerrando sua carreira precocemente aos 35 anos.

Ao todo foram 12 títulos com o Bayern de Munique. Maier fez parte do grande elenco bávaro que conquistou a Europa três vezes seguidas, entre 1974/75/76, além do Intercontinental contra o Cruzeiro em 1976 em dois jogos – 2×0 na Alemanha e 0x0 no Brasil. Um ano antes, Maier mostrou seu ladoirônico em uma frase imortalizada pela imprensa alemã. Mesmo conquistando a Europa seguidamente, o campeonato alemão ia de mal a pior. E o goleiro, em uma entrevista coletiva disse: “Enviamos um ofício para a Federação Alemã pedindo para que os nosso adversários joguem com um a menos. Quem sabe assim para de sobrar um ataque na minha frente!”

Após sua aposentaria, Maier abriu uma escolinha de tênis, tornou-se escritor e ainda foi o preparador de goleiro da Alemanha entre 1987 a 2004, sendo campeão do mundo em 1990 e também do Bayern entre 1998 e 2008. Maier é uma lenda, um exemplo de determinação, de empenho e amor ao que faz. Um dos poucos craques que defenderam apenas um clube na carreira.

 

Talvez você também se interesse por...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *