Uma Seleção no ataque Rubro-Negro Pernambucano

 

Agora os que começaram profissionalmente no Sport Club do Recife. Impressionante como o clube revelou grandes atacantes ao longo da sua rica trajetória. Foram tantos que muitos ficaram de fora como os principais artilheiros do clube. Traçaia, Djalma Freitas, os ótimos Djalma Bezerra , Marcílio Cabral, Roberto Coração de Leão , Genivaldo e Geo tive dúvidas do início profissional de cada um . Rildo não entrou por não ter jogado no profissional do Sport, vindo cedo para o Sudeste. O que tivemos de facilidade para montar o ataque, tivemos de dificuldade no setor defensivo,Russo está improvisado na lateral -esquerda(não achei jogadores para essa função). Erlon poderia ter entrado na zaga enfim. Alguns improvisos mas um belo time. Mas Vamos parar de conversa e apresentar essa seleção do Leão da Ilha. 

Goleiro

No gol o genial e espetacular Manga, foi campeão pernambucano de juniores sem sofrer um gol sequer. Fato que chamou atenção do técnico Gentil Cardoso que o alçou ao profissional. Manga é um dos maiores goleiros da história e no dia de seu nascimento é comemorado o dia do goleiro. Seria o Capitão desse time.

Zaga

Na lateral-direita, Baixa, lateral que marcou época nos anos 60 com a camisa do Leão da Ilha, com ele não tinha firulas, jogava sério subia pouco ao ataque. Era implacável na defesa por isso trabalha até hoje no clube sendo o guardião da sala de troféus do Sport. Na zaga Bria um símbolo de amor pelo Sport foram 15 temporadas e 7 título com a camisa do Rubro-Negro de Pernambuco. Teve a honra de participar da chamada “Cacareco” quando a seleção Pernambucana representou a seleção brasileira na Copa América Extra de 1959. Ao lado dele Alemão o canhão da Ilha e irmão do goleiro Manga. Pouca técnica mas muita raça e um chute forte e certeiro, assim pode se definir Alemão que ficou marcado na história do time Pernambucano sendo o maior zagueiro-artilheiro da história do Sport com 59 gols. Na esquerda um improvisado Russo que foi revelado no Sport nos anos 90 e chegou a Seleção Brasileira.

Meio-Campo

Revelado pelo Sport nos anos 90, Cleber Santana é o volante desse time com muita qualidade na saída de bola e distribuição de jogo. Na meia mais um jovem talento revelado pelo Sport nos anos 90. Juninho Pernambucano que rodou o mundo, defendeu a seleção brasileira na Copa de 2006, com certeza um dos melhores batedores de falta da história. Rápido e oportunista Neco completa esse meio-campo de muita qualidade. Ao contrário dos seus dois companheiros, marcou seu nome na história do Sport é um dos heróis do título de 1987.

Ataque

Com certeza o setor mais forte desse time do Sport. Pela direita Almir Pernambuquinho um gênio do futebol brasileiro. Mal defendeu as cores do Sport para tristeza da torcida e de sua mãe que quando ele saiu de Pernambuco para o Vasco profetizou. “Você vai se perder naquela cidade. Ela estava mais que certa, Almir viveu entre a noite e a genialidade de seu futebol. É considerado um dos primeiros bad boys do futebol brasileiro.

Do outro lado Ademir Menezes, mais um ex-Sport que fez sucesso no Vasco da Gama. O queixada apelido que lhe foi dado pelo queixo bem avantajado é considerado até hoje um dos maiores jogadores da história do futebol nacional. Foram poucos jogos no Sport, mas o suficiente para um hat-trick em uma goleada de 8×1 sobre o Náutico. Foi o artilheiro da Copa do Mundo de 1950. Para completar esse ataque Vavá o Peito de Aço, apelido dado pelo mítico jornalista Geraldo José de Almeida. Foi bicampeão do Mundo em 1958 e 1962, foram 9 gols em Copa do Mundo. Pelo Sport foi bicampeão pernambucano.

 

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *